Projetos sobre o Setembro Amarelo buscam atividades integradas para a prevenção do suicídio

A cada 40 segundos uma pessoa se suicida no mundo, em um problema de saúde pública que precisa ser tratado com atenção. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que seja feita uma abordagem integrada, reunindo saúde, educação, instituições de diversos setores em atividades simultâneas, para dar visibilidade à questão que ainda é considerada tabu em muitos lugares. Em Juiz de Fora dois Projetos de Lei já foram feitos para dar visibilidade ao tema, um do vereador Rodrigo Mattos (PHS), em 2016, que institui a Semana de Valorização da Vida e outro do vereador Fiorilo (PTC), apresentado este ano, que promove um intercâmbio entre o SUS e a sociedade civil, autorizando a criação de canais de atendimento pessoal.

O projeto que institui a Semana Municipal de Valorização da Vida é de autoria do vereador Rodrigo Mattos, de 2016, e inclui a Semana no Calendário Oficial, a ser realizada todos os anos na semana do dia 10 de setembro, Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. O projeto traz como diretrizes alertar a população sobre como diagnosticar pessoas em situação vulnerável ao suicídio, com campanhas em veículos de comunicação; promover encontros com especialistas da área; elaborar e distribuir cartilhas didáticas para órgãos públicos, capacitando servidores para lidar com pessoas que demonstrem tendências ao suicídio, entre outros.

Já o projeto recente do vereador Fiorilo busca promover atividades de apoio às pessoas com distúrbios emocionais ou mentais, criar canais de atendimento pessoal, organizar a rede de atenção e intervenção nos casos de tentativa de suicídio, promovendo intercâmbio entre o SUS e a sociedade civil organizada, envolvendo sociedades empresariais e organizações de apoio à causa. O projeto prevê ainda que a Câmara reservará em seu calendário anual o dia 10 de setembro para ocupação do Plenário com discussões sobre o tema.

Dados da Organização Mundial da Saúde divulgados em 2018 mostram que, por ano, quase 800 mil pessoas cometem suicídio, sendo essa a segunda maior causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos de idade. Ainda de acordo com a OMS, já foi reconhecido um  vínculo entre suicídio e problemas como depressão ou transtornos de uso do álcool, mas muitos casos são cometidos por impulso, em momentos de crise. A recomendação da agência das Nações Unidas é de sejam identificados os principais métodos que algumas pessoas usam para pôr fim à própria vida e que a abordagem seja feita de forma integrada, reunindo saúde, educação, os meios de comunicação, e diversas instituições, como parte de uma estratégia que possibilite às comunidades identificar e facilitar intervenções em situações de tendência ao suicídio.

 

Atendimento pelo Centro de Valorização da Vida

O Centro de Valorização da Vida (CVV) presta apoio emocional, atendendo de forma voluntária e gratuita todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo, por telefone, email ou chat 24 horas, todos os dias. Por telefone os atendimentos são pelo número 188 e também é possível acessar www.cvv.org.br para chat ou e-mail.

Fonte: CMJF

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.