Mostra no CCBM celebra juventude negra e periférica

Três jovens fotógrafos e um designer assinam as imagens – fotografias e composições gráficas – da mostra “Makoomba – Liberdade, identificação e diversão”, que será aberta na próxima sexta-feira, 16, às 19 horas, na Galeria “Heitor de Alencar” do Centro Cultural “Bernardo Mascarenhas” (CCBM – Avenida Getúlio Vargas 200 – Centro). A exposição permanece em cartaz até o próximo dia 31, e a visitação é gratuita, de terça a sexta-feira, das 9 às 21 horas, e aos sábados e domingos, das 10 às 18 horas.

Com trabalhos de Crraudio (Claudio Jr), Mariana Martins, Ocrioulo (Igor Pires) e João Victor Medeiros, a mostra destaca as manifestações culturais da juventude negra e periférica, registrando eventos que promovem integração entre diferentes expressões artísticas, como música, dança, performance e audiovisual. Makoomba é o nome de um movimento que começou como festa, mas acabou por se tornar um conceito de resistência: de bloco de carnaval à residência criativa para a capacitação de jovens.

Na mostra, o objetivo é exaltar a cultura negra e LGBTQI+ para divertimento, consolidação de identidade e liberdade dos corpos. Mais que recontar a trajetória dos eventos, a exposição busca celebrar a visibilidade do que, em nossa sociedade, é historicamente posto à margem e visto como indesejado. Ao ocupar lugares institucionalizados, a Makoomba atua como ponte, intensificando a importância de uma população se identificar em novos espaços.

O trabalho tem assessoria da produtora cultural Amanda Messias, e os artistas participantes são:

– Crraudio (Claudio Jr) autor das composições gráficas que fazem parte da exposição, é designer, produtor cultural, artista digital e DJ. Artista multidisciplinar, ele tem em suas produções influências da cultura pop, africana, latina e brasileira, percorrendo por uma narrativa que mantém a presença marcante e imponente da música negra.

– Mariana Martins | estudante de Cinema e Audiovisual na UFJF, transita entre a produção cultural, a produção audiovisual e a fotografia. Produziu e assistiu a produção de projetos como: “A Fita”, “A menina que colecionava estrelas”,
“Para atravessar contigo o deserto do mundo”, “Vida dentro de um melão”, entre outros. Participou da coletiva “Vazios Urbanos”, do JF Foto17. Produziu eventos da Makoomba em 2019 e atualmente realiza a produção e pré-produção de “Nó no couro” e “Crônicas de um abutre”.

– Ocriolo (Igor Pires) | organizou eventos culturais e o audiovisual de 2014 a 2018 do coletivo Encontro de MCs da cidade de Juiz de Fora, produzindo fotos, videoclipes e exposições. Atualmente é produtor criativo e audiovisual da Makoomba, já tendo exposto seus trabalhos na “Exposição Preto Ao Cubo” (UFJF).

– João Victor Medeiros | artista do Bairro Santa Cândida, na periferia de Juiz de Fora, começou seus trabalhos na fotografia em 2015. Já participou do coletivo Encontro de MCs como organizador e fotógrafo, assim como do projeto “Educarte – Hip Hop e Educação”, ambos relacionados à difusão da cultura hip hop. É fotógrafo da agência de fotojornalismo da Faculdade de Comunicação da UFJF e tem dois projetos de fotografia: “Feira é Livre” e “Juventude, suor e sangue”. Também utiliza colagem como meio de expressão artística. Suas criações geralmente flutuam entre os temas de raça, juventude, masculinidade e conceitos como “vontade de potência”. Partindo de uma perspectiva de dignidade e beleza, busca ser um elo entre público e fotografado, mesmo quando estes estão em situações de luta ou sofrimento. Também faz parte da equipe do Raplogia, como repórter e fotógrafo, realizando coberturas de eventos de música na região sudeste do Brasil. Dirige e escreve videoclipes, entre eles “Pedagoginga”, de Thiago Elnino, “Quando”, de Ramiro Mart, e “Rotina”, de RT Mallone.

Fonte: PJF

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.