Secretaria de Saúde alerta população para continuar combate à dengue mesmo no frio

A Secretaria de Saúde (SS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) faz um alerta aos juiz-foranos para que fiquem atentos e continuem com as atividades de combate ao Aedes aegypti, vetor da dengue, Zika e chikungunya.

Conforme a pasta, nos últimos dias o município tem registrado baixas temperaturas e apesar da condição climática, a população deve continuar com as ações, uma vez que o mosquito continua seu ciclo mesmo com o frio. Desta forma, a PJF permanece vigilante, dando continuidade aos trabalhos de campo com os agentes de combate a endemias (ACEs) e com as ações de Educação em Saúde.

Por meio da assessoria, a gerente do Departamento de Vigilância Epidemiológica e Ambiental (Dvea), Cecília Kosmann, pontuou que “as arboviroses são cíclicas, e a atenção não pode ser somente em períodos epidêmicos. Em 2019 houve a circulação do sorotipo II do vírus da dengue, mais grave do que em anos anteriores. Desta forma, já pensando na prevenção da doença para o próximo ano, é necessário não deixar a população do mosquito crescer, eliminando os focos”.

Mesmo em um período sem chuvas, é essencial que cada pessoa separe no mínimo dez minutos semanais para inspecionar sua casa e eliminar qualquer possível criadouro do mosquito.Isto porque existem outros reservatórios com acúmulo de água, como caixas-d´água, potinhos de animais e plantas, calhas, dentre outros locais que podem ser criadouros. Cecília lembra, ainda, que, “como os ovos do Aedes aegypti podem sobreviver por até um ano sem água, não basta somente secar o ambiente através da eliminação da água. É preciso remover os ovos, esfregando os locais com uma esponja com água e sabão para esmagar e, assim, matar os ovos”, disse.

 

Chega a 10 o número de mortes por dengue em Juiz de Fora

O boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) no último dia 2 de julho confirmou mais três mortes por dengue em Juiz de Fora. Com os dados do novo balanço, a cidade já contabiliza 10 mortes pela doença.

De acordo com a SES-MG, em Minas Gerais, foram confirmados 98 óbitos por dengue. Ao todo, são 137 óbitos em investigação para dengue. Com isso, Minas Gerais está em situação de alerta para esse aumento no número de casos das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Juiz de Fora está entre as cidades com os maiores registros de mortes pela doença, ficando atrás apenas de Belo Horizonte, Betim e Uberlândia.

Em 2019, em todo o Estado, foram registrados mais de400 mil casos prováveis (casos confirmados + suspeitos) de dengue, sendo. A SES-MG ressalta que os óbitos em questão foram notificados ao longo de 2019 e não são, necessariamente, óbitos recentes.

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.