Campeão do mundo em 2009, ex-piloto Jenson Button retorna à F1, como conselheiro sênior da Williams

Campeão do mundo na temporada de 2009 pela Brawn GP, o inglês e ex-piloto de F1, Jenson Button, está de volta à categoria, dessa vez para atuar como conselheiro sênior da Williams, que vive uma grave crise técnica e financeira. Curiosamente, foi a primeira equipe do inglês, quando fez sua estreia na F1 em 2000.

Button chega com a difícil missão de recolocar o time nos trilhos, que no momento tem o pior carro no grid e ocupa as últimas posições há três temporadas. Em 2020, por exemplo, não marcou nenhum ponto e foi a lanterna no Mundial de Construtores. Além disso, a Williams foi comprada pelo grupo de investidores Dorilton Capital, que passou a ser o dono da equipe, encerrando assim o longo ciclo de administração da família Williams.

Após o anúncio de seu retorno, Jenson Button fala sobre a sensação de estar de volta à equipe que te colocou na F1: “Estou muito feliz por mais uma vez poder dizer que assinei pela Williams. Quando eu tinha 19 anos, foi um momento que mudou minha vida e, apesar de ter sido há mais de 20 anos, já sinto que nunca realmente saí. Sir Frank Williams demonstrou fé em mim, pela qual serei eternamente grato, e estou extremamente animado por ter a chance de voltar e ajudar a equipe que se esforça mais uma vez pelo sucesso. Há muito trabalho árduo a ser feito, mas não tenho dúvidas de que o futuro é incrivelmente brilhante para esta equipe fantástica e mal posso esperar para começar”.

Para o CEO da Williams, Jost Capito, a chegada de Jenson Button será fundamental para a reestruturação do time: “Trazer Jenson de volta a bordo é outro passo positivo para nos ajudar a seguir em frente como equipe dentro e fora da pista. Jenson sempre foi um amigo da equipe e por isso é ótimo recebê-lo de volta à família Williams. Em 2000, Sir Frank viu o talento promissor de Jenson como piloto e lhe deu sua primeira oportunidade na F1. Ele mais do que cumpriu a promessa inicial ao longo de uma carreira brilhante que culminou na glória do campeonato mundial. Mais recentemente, mostrou sua perspicácia no mundo dos negócios e da radiodifusão e continua sendo uma figura amplamente respeitada no paddock. Toda essa experiência adicionará outra camada à nossa transformação, tanto tecnicamente quanto como negócio. Sei que todos na Grove têm um grande respeito por ele” comenta.

Carreira na F1

Jenson Button fez sua estreia na principal categoria do automobilismo mundial, em 2000, quando tinha apenas 19 anos. Naquela ocasião, seu companheiro de equipe era o alemão Ralf Schumacher. O Inglês demonstrou bom desempenho naquele ano e teve como melhor resultado um quarto lugar no GP da Alemanha, terminando o campeonato em oitavo lugar. 

Em 2001, transferiu-se para a antiga Benetton (hoje é batizada de Alpine), e no ano seguinte, foi mantido na equipe que passou a se chamar Renault. Em 2003 transferiu-se para a British American Racing (BAR), equipe no qual ficou até 2005, pois no ano de 2006 passaria a se chamar Honda. Na mesma ocasião, obteve sua primeira vitória, ao triunfar no GP da Hungria.

No final de 2008, a montadora japonesa anunciou sua saída da categoria e às vésperas da pré-temporada de 2009, Ross Brawn comprou a equipe e batizou Brawn GP. Com seis vitórias, Jenson Button foi campeão do mundo pela primeira vez.

De 2010 a 2016, pilotou pela McLaren e durante este período, venceu oito corridas. Além disso, se aposentou da categoria ao término do campeonato de 2016 e no ano seguinte, pilotou espetacularmente no GP de Mônaco, substituindo Fernando Alonso, que iria disputar as 500 milhas de Indianápolis.

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.