Juiz de Fora registra 334,9 mm de chuva no mês de novembro; valor é considerado acima da média

Os dados divulgados na quinta-feira (3), pela Defesa Civil, indicam que no mês de novembro, Juiz de Fora registrou 334,9 mm de chuva no período. O total é considerado acima da média, uma vez que este mês costuma ter volume próximo de 212,1 mm, conforme a Série Histórica. Durante todo o mês, o órgão recebeu 280 solicitações, através da Central de Atendimento 199.

Na comparação com o mesmo período em 2019, o valor deste ano foi superior. Naquela ocasião, foram contabilizados 170 mm, praticamente a metade da quantidade que caiu na cidade. Para este mês de dezembro, a Defesa Civil alerta para fortes pancadas de chuva no município. A expectativa é que sejam registrados 316 mm de índice pluviométrico.

Conforme o professor de geografia, Pedro Faria, diversas condições da atmosfera foram favoráveis para a concentração de chuvas em Juiz de Fora:

“As condições da La Niña, no Oceano Pacífico, e um Oceano Atlântico mais frio na altura da Argentina, Uruguai e região Sul permitiram a maior passagem de frentes frias, formação de canais de umidade, presença de ventos marítimos mais persistentes e a formação de sistemas de baixa pressão atmosférica no Sudeste. Tudo isso contribuiu para que a umidade ficasse concentrada em Juiz de Fora e em parte da Zona da Mata”.

Ele reforça que nessa época do ano, é normal que haja aumento dos níveis pluviométricos na Região Sudeste e cita outra combinação favorável para as chuvas:

“Novembro já é um dos meses da estação chuvosa no Sudeste do país, que vai até Março. Então é normal o aumento dos volumes de chuva e dos temporais com raios, trovoadas e, até mesmo granizo. A combinação de calor e alta umidade é o combustível perfeito para a formação de temporais típicos de Verão. Os principais institutos de previsão do tempo do país, como o Cptec/Inpe e o Inmet, ainda estão elaborando os prognósticos para o Verão. O que sabemos é que será sob a influência da La Niña, que tende a favorecer mais chuvas na região Sudeste devido à formação de canais de umidade. Mas depende também da temperatura das águas do Oceano Atlântico que pode inibir ou favorecer a chuva”.

Quanto à expectativa para os índices no mês de dezembro, Pedro explica que é difícil fazer uma previsão, uma vez que, “levam-se em conta inúmeras variáveis. Dezembro ainda deve ser um mês com bons volumes em Juiz de Fora, apesar de alguma irregularidade na chuva. A cidade entra no seu bimestre mais chuvoso (Dez/Jan), o que aumenta o alerta para as encostas da cidade. Os problemas de escoamento superficial em várias regiões, as eventuais enchentes-relâmpago, além de tantos problemas que acarretam para a população”, conclui.

Orientações do Corpo de Bombeiros

 Através de um vídeo, o Corpo de Bombeiros de Juiz de Fora, passou dicas de prevenção para a população. Dentre elas, são: ficar de olho nos alertas metereológicos, evitar sair de casa em caso de chuvas fortes e se por acaso a pessoa estiver fora de sua residência, não é aconselhável transitar em locais conhecidos por ter alagamentos. Neste caso, é importante procurar um lugar elevado e se abrigar.

Quanto às áreas de risco, é importante ficar atento no nível de água das ruas, no nível dos córregos e no volume de chuva. O Corpo de Bombeiros recomenda também, que se for necessário, deve-se abandonar tal área de risco, mas de forma segura e procurar um local mais adequado e seguro para se abrigar.

Além disso, os Bombeiros fazem um alerta para as residências localizadas perto de morros e barrancos, principalmente daqueles que não possuem cobertura vegetal, pois com o terreno molhado, pode favorecer deslizamento de terra. Em caso de emergência, a população deve ligar para o telefone 193.

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.