Guedes prevê novo ciclo de investimentos com a desobstrução das reformas no Congresso

Durante participação virtual na Conferência 2021 de Investimentos da América Latina, promovida pelo Banco CreditSuisse, o ministro da Economia, Paulo Guedes, destacou que o Brasil deverá entrar em um novo ciclo de crescimento a partir da tramitação das reformas no Congresso Nacional.

“Nós precisamos de investimento privados, dezenas e centenas de milhões de investimentos, em saneamento, setor elétrico, cabotagem; e isso tudo está pronto para ser disparado. A nossa esperança é que essa recuperação cíclica, baseada em consumo que nós experimentamos nesse segundo semestre de 2020, se transforme, em 2021, numa retomada sustentável do crescimento econômico, impulsionada por essas ondas de novos investimentos privados, nos setores cujos os marcos regulatórios nós estamos reformando”, declarou o ministro, ao comentar que a pauta do Congresso Nacional deverá ser desobstruída neste ano para a votação de projetos já encaminhados.

Guedes afirmou ainda que o governo federal agiu segundo um protocolo de enfrentamento da crise provocada pela pandemia da Covid-19, em que foram repassados recursos para estados e munícipios. “Tínhamos previsto remeter esses recursos em oito anos na PEC do Pacto Federativo e acabamos por fazer isso em apenas oito meses”, explicou, se referindo à concessão do Auxílio Emergencial, que alcançou mais de 38 milhões de pessoas, e ainda a outras medidas. Ele avaliou que as ações do governo federal foram essenciais para preservar empregos e mitigar os impactos da crise, permitindo uma recuperação nas atividades econômicas no final do ano passado.

O ministro acredita que a campanha brasileira de vacinação contra a Covid-19 será bem-sucedida. “Somos o país do Oswaldo Cruz, então sabemos vacinar em massa e, rapidamente, estaremos entre os países que mais vacinam no mundo”, previu. Diante desse cenário, Guedes projetou que a economia brasileira poderá manter um ritmo sustentável de crescimento econômico nos próximos anos. “Podemos crescer de três a quatro por cento ao ano, por 10 anos seguidos, se fizermos as coisas corretas”, finalizou, ao destacar os avanços institucionais da democracia brasileira.    

Fonte: Ministério da Economia

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.