Por conta da pandemia do Covid-19, Auckland City se retira do Mundial de Clubes da FIFA

Restando menos de um mês para a abertura do Mundial de Clubes da FIFA Catar 2020, o Auckland City da Nova Zelândia e atual vencedor da Liga dos Campeões da Oceania, anunciou nesta sexta-feira (15), sua retirada do torneio, por conta da pandemia do Coronavírus. O clube informa que vai preservar as medidas rigorosas de isolamento, adotadas pela Nova Zelândia, que foi um dos primeiros países a conseguir controlar o número de pessoas infectadas pelo Coronavírus.

Em comunicado oficial, a FIFA diz que “Apesar das conversas regulares com o Auckland City, o futebol neozelandês e o OFC nos últimos dias, as exigências das autoridades neozelandesas em relação ao isolamento e à quarentena vão além do mandato da FIFA e, portanto, não foi possível chegar a uma solução”.

Diante disso, o Mundial será disputado por cinco clubes: Bayern de Munique (Campeão da Champions), Al Duhail (Campeão nacional e anfitrião), Al Ahly (Campeão da África), Tigres (Campeão da CONCACAF), Ulsan (Campeão da Ásia) e o vencedor de Palmeiras x Santos pela Libertadores.

Inclusive, com a retirada do Auckland City, o representante do Catar, Al Duhail, que seria o adversário dos neozelandeses, está automaticamente classificado para as quartas de final. O sorteio de todos os confrontos será definido nesta terça-feira (19).

Maior participante da história do torneio, com nove presenças, o Auckland City é também o maior ganhador da Liga dos Campeões da Oceania, com nove conquistas, sendo sete delas de forma consecutiva. Sua melhor participação em Mundiais foi em 2014, quando terminou em terceiro lugar.

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.