Para seguir incentivando nova geração mesmo depois da aposentadoria, Daniel Dias é o novo embaixador dos JEB’s

Depois do anúncio da última terça-feira (12) de que se aposentará após os Jogos Paralímpicos de Tóquio, o nadador Daniel Dias aceitou uma nova missão. A convite do secretário especial do Esporte do Ministério da Cidadania, Marcelo Magalhães, o multimedalhista integrará o time de embaixadores dos Jogos Escolares Brasileiros (JEB’s), que serão realizados entre 29 de outubro e 5 de novembro, no Parque Olímpico da Barra, no Rio de Janeiro.

“É uma alegria para mim fazer parte desse ‘timaço’ de embaixadores”, comenta Daniel Dias, que terá ao seu lado Arthur Zanetti (campeão olímpico na ginástica artística), Maurren Maggi (única brasileira campeã olímpica no atletismo), Jackie Silva (campeã olímpica no vôlei de praia), Serginho e Giba (ambos campeões olímpicos no vôlei), André Domingos (medalhista olímpico no atletismo), Mayra Aguiar (bicampeã mundial no judô e duas vezes medalhista olímpica) e Flávia Saraiva (destaque da seleção brasileira na ginástica artística).

Ao longo da carreira, Daniel coleciona números impressionantes. São 24 medalhas em três edições dos Jogos Paralímpicos (Pequim 2008, Londres 2012 e Rio 2016), sendo 14 de ouro. Além disso, subiu 40 vezes ao pódio de mundiais, 31 delas como campeão. Em Jogos Parapan-Americanos, levou os 33 ouros das 33 provas que disputou. Ele é também o único brasileiro a receber três vezes o Troféus Laureus, considerado o “Oscar do Esporte”.

Integrante do Bolsa Atleta desde 2010 e contemplado com a categoria mais alta do programa, a Pódio, desde 2014, Daniel teve um investimento do Governo Federal ao longo desses dez anos que ultrapassa R$ 1,37 milhão. Mesmo após a aposentadoria, o nadador vai continuar se dedicando ao fomento do esporte, por meio do Instituto Daniel Dias (IDD), em Bragança Paulista (SP), e agora também como embaixador dos JEB’s.

“Sempre deixei muito claro que segui um exemplo, e hoje fico feliz de ser exemplo para muitas crianças”, conta Daniel, que começou na natação paralímpica depois de acompanhar a performance de Clodoaldo Silva nos Jogos de Atenas, na Grécia, em 2004. “Espero que a gente possa continuar influenciando de maneira positiva, mostrando que eles podem alcançar os sonhos e os objetivos deles. Independentemente de termos ou não deficiência, somos capazes de realizar grandes feitos”, afirma.

Aos 32 anos, Daniel Dias tem má-formação congênita nos membros superiores e na perna direita, e compete pela classe S5. “Todos nós temos sonhos, e o esporte é uma ferramenta linda que nos ensina que é possível realizarmos os nossos sonhos e os nossos objetivos. Acima de tudo, vai além de medalha. O esporte nos ensina a sermos um campeão na vida”, completa.

JEB’s

Os Jogos Escolares Brasileiros de 2021 terão disputas em atletismo, basquete, futsal, handebol, judô, vôlei, vôlei de praia, natação, tênis de mesa, xadrez, caratê, wrestling, ginástica artística, ginástica rítmica, badminton, ciclismo e taekwondo.

Do total de 17 modalidades, nove são seletivas para os Jogos Sul-Americanos Escolares, que serão disputados em Brasília, em dezembro deste ano: atletismo, basquete, futsal, handebol, judô, vôlei, natação, tênis de mesa e xadrez.

Destinada a atletas escolares nascidos em 2007, 2008 e 2009, os Jogos Escolares Brasileiros são organizados pela Confederação Brasileira de Desporto Escolar (CBDE), em parceria com a Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania, e contam com o apoio da Federação de Esportes Estudantis do Rio de Janeiro (FEERJ).

Fonte: Assessoria

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.