Delegacia de Homicídios da Polícia Civil esclarece mais de 90% dos homicídios registrados no município

A Delegacia de Homicídios da Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), apresentou um balanço referente aos casos de homicídios consumados, ocorridos nos últimos nove meses em Juiz de Fora. O levantamento indica que mais de 90% dos casos foram solucionados. 

Segundo o titular Rodrigo Rolli, durante o referido período, foram emitidos mais de 65 mandados de prisão junto à Justiça e que houve redução no número de ocorrências desse tipo de crime pela cidade:

“De janeiro a setembro deste ano, foram registrados 45 homicídios consumados, já no ano anterior, foram 44. Desses casos ocorridos em 2020, já temos 41 apurados, com autoria e motivação definidas. Em relação aos quatro restantes, levantamentos já estão sendo realizados para apurar os fatos. Em se tratando de homicídios tentados, no mesmo período, houve uma queda no número. Ocorreram 59, em 2019, mas, este ano, foram registrados 49, ou seja, uma diminuição de dez casos, em números absolutos”, informa.

Conforme o Delegado Armando Avólio Neto, enfatiza na resposta que a Polícia Civil tem dado perante ao combate de todos os tipos de delitos, “Em relação aos homicídios, é muito importante que esses suspeitos respondam na forma da lei, proporcionando ordem social e uma convivência melhor aos cidadãos de bem”.

Já o chefe do 4º Departamento de Polícia Civil em Juiz de Fora, Gustavo Adélio Lara Ferreira, diz que é de suma importância a parceria com o Poder Judiciário e o Ministério Público, a fim de garantir que todas as medidas cautelares sejam deferidas. Além disso, a autoridade policial elogia o empenho exercido pela Delegacia de Homicídios:

“De forma incansável e profissional, os policiais civis se dedicam nas investigações incessantemente até chegar à autoria e à materialidade, resultando, com isso, nesse exitoso resultado de apurações”.

Investigação da morte de jovem na Região Norte

Nessa semana, a Polícia Civil concluiu o inquérito referente à morte de um jovem de 26 anos, ocorrido no dia 28 de maio deste ano, no Bairro Vila Esperança II (Região Norte). O Delegado Rodrigo Rolli explica que dois suspeitos, de 20 e 31 anos, encontram-se presos, entretanto há um terceiro envolvido, 21 anos, que está foragido. A autoridade policial diz que as investigações estão em andamento.

Ele detalha que o procedimento já foi remetido ao poder judiciário com indiciamento dos três suspeitos pelos crimes de associação criminosa e de homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e por dificultar a defesa da vítima. Segundo apurações, a motivação seria por conta de rivalidade entre bairros.

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.