UFJF assina termo de cooperação internacional para produção de biodiesel

O consumo acelerado de combustíveis fósseis gera sérios problemas ambientais e a busca por alternativas sustentáveis tem sido uma constante no meio científico e político. Pensando nisso, foram celebrados entre a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), a Prefeitura de Juiz de Fora e a empresa inglesa de combustíveis renováveis Green Fuels Ltd. dois termos, de cooperação e de doação. Tal colaboração visa o desenvolvimento de um projeto de pesquisa de validação tecnológica, econômica e ambiental sobre a utilização de biodiesel feito a partir óleo de cozinha descartado. O Termo de Doação Temporária do equipamento Fuelmatic GSX3 se fez com apoio do Prosperity Fund, do governo britânico, focado em projetos ambientais.

Em decorrência dos dois termos, uma unidade de processamento de biodiesel está em fase de implementação na área do Centro Integrado de Ensino, Pesquisa, Extensão, Transferência de Tecnologia e Cultura (CIEPTEC-UFJF Norte) no Distrito Industrial de Juiz de Fora. A usina é a terceira planta da América Latina e primeira do Brasil para produção de biodiesel com o sistema de processamento da Green Fuels Ltd., utilizando óleos residuais provenientes do processo de coleta seletiva da cidade de Juiz de Fora e região. O combustível renovável a ser produzido pelo Centro de Processamento de Biodiesel será utilizado na frota pública do município e da UFJF. Na Universidade, as tratativas para assinatura do termo de doação do equipamento utilizado, bem como do termo de cooperação para a pesquisa, foram conduzidas pela Diretoria de Inovação, com suporte do Núcleo de Inovação Tecnológica da instituição, que atua no Centro Regional de Inovação e Transferência de Tecnologia (Critt).

De acordo com o diretor de Inovação da UFJF, Ignácio Delgado, parcerias como esta são cruciais. “Primeiro pelos entes envolvidos: a Universidade, uma empresa inglesa conectada à busca de alternativas sustentáveis na produção de combustíveis; o Prosperity Fund, que tem como objetivo o apoio a projetos ambientalmente sustentáveis e a Prefeitura Municipal. Segundo, porque sinaliza para a cidade e região como a colaboração entre a academia e o poder público pode ser decisiva para dinamizar a economia regional em atividades intensivas em tecnologia e sustentáveis. Terceiro, para dar consequência prática ao que se produz de conhecimento na UFJF, uma instituição de ponta na área de energia e de química, com conexões com a produção de energias renováveis e combustíveis sem impacto climático, que indica a perspectiva de tornar Juiz de Fora um polo nacional nesta área”, completa.

Óleo de cozinha usado como combustível

De acordo com Adilson da Silva, coordenador geral do projeto, a ideia é transformar resíduos como óleo de cozinha usado e sebo de animais em biodiesel – combustível natural e biodegradável com baixo teor poluente. “Atualmente, estes resíduos são descartados nos aterros, rios e lixos ou são enviados para outras cidades através de empresas, gerando problemas de logística, custos adicionais, ou, ainda, mais importante, impedindo que nossa região crie mecanismos de aumentar o valor agregado dos nossos insumos com geração de riquezas e captação de empregos”, destaca.

“O equipamento que será utilizado, o FuelMatic GSX3 da Green Fuels, possui capacidade de produção de 3.000 litros de biodiesel por dia, conseguindo transformar um litro de óleo usado em um litro de biodiesel”, esclarece Jackson Moreira, secretário de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Agropecuária da Prefeitura de Juiz de Fora. O biodiesel normalmente é feito por meio de uma reação de transesterificação – reação do óleo com álcool, na presença de um catalisador como o hidróxido de sódio, a soda cáustica.

Inicialmente, a coleta de óleo usado será feita nos restaurantes da Prefeitura e da UFJF, em seguida nas lanchonetes de fast food e em restaurantes em geral e, posteriormente, coleta domiciliar. “Com a assinatura dos termos, a empresa Green Fuels vai disponibilizar o equipamento e a capacitação para a transformação do óleo em biodiesel, enquanto os membros dos departamentos de Química e de Mecânica da UFJF vão analisar como esse combustível age nos veículos”, explica Moreira.

Parceria Prefeitura-UFJF-Green Fuels

Com o Acordo de Paris de 2015, o Brasil se comprometeu a reduzir as emissões de gases de efeito estufa até 2030. Para isso, o Programa Juiz de Fora 2030, vinculado à Secretaria de Planejamento e Gestão (SEPLAG), foi instituído pelo município como política pública destinada a promover o desenvolvimento territorial integrado, inclusivo e sustentável, de forma alinhada à agenda 2030, para o alcance dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização da Nações Unidas (ONU).

Uma das primeiras ações do município foi a celebração, em junho de 2018, do Memorando de Entendimento da criação da Plataforma de Bioquerosene e Renováveis da Zona da Mata. A UFJF participou desta iniciativa através da Diretoria de Inovação e tem colaborado com o processo de implantação da plataforma, por meio de pesquisas e consultorias realizadas por professores da instituição. “Neste ato, o Governo Britânico expressou o interesse em apoiar a Plataforma de Biorefino de Juiz de Fora, utilizando o apoio financeiro do Prosperity Fund para empresa inglesa Green Fuels Ltd.”, esclarece Silva. Segundo ele, com a celebração da assinatura do termo de cooperação Green Fuels-PJF-UFJF, os próximos passos serão o recebimento e instalação do equipamento, a pesquisa de validação tecnológica, econômica e ambiental quanto à utilização de biodiesel em substituição ao diesel fóssil.

Fonte: Assessoria

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.