Técnica Pia Sundhage comanda primeiro treino da Seleção Feminina na Granja Comary

Após seis meses de atividades presenciais paralisadas, em decorrência da pandemia do novo Coronavírus, a técnica Pia Sundhage, comandou o primeiro treino da Seleção Feminina, na Granja Comary em Teresópolis-RJ. O time se reapresentou na terça-feira (15), junto a comissão técnica.

Esta fase de treinamentos, vai durar até o dia 22 deste mês e visa a preparação para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 (adiados para 2021). Para esta convocação, Pia conta com oito novidades na listagem: as defensoras Tainara (Santos) e Pardal (Corinthians), as meias Camilinha (Palmeiras), Duda (Cruzeiro), Carol (São Paulo), Adriana (Corinthians) e Vanessa (Cruzeiro), além da atacante Ary Borges (Palmeiras). 

Como informado pelo Departamento Médico da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), a atacante Cristiane foi cortada, após apresentar quadro clínico compatível com fascite plantar no pé direito. Diante deste cenário, Vanessa será a substituta e de quebra fará sua estreia pela Seleção Principal. Com passagem apenas pela equipe brasileira sub-17 e 20, a atleta de 23 anos conta que foi com muita surpresa que recebeu a notícia: 

“Era um sonho pra mim vir para a Seleção Principal, eu estou muito feliz. (A notícia da convocação) foi um susto pra mim, achei que íamos para casa (depois do jogo contra o Flamengo, no Rio), mas aí ficamos sabendo da lesão da Cristiane e da minha convocação. Estou muito feliz por estar aqui, e quero poder mostrar o meu trabalho”, conta Vanessa.

Antes da segunda convocação e também da retomada das atividades presenciais, Pia Sundhage e a auxiliar Beatriz Vaz, fizeram diversas observações ‘in-loco’, em oito partidas do Brasileirão Feminino A-1, e fez visitas aos clubes para acompanhar os treinamentos. Dentre as atletas observadas pela dupla, está a meia-campista Carol, do São Paulo, que também foi convocada para a Seleção Principal pela primeira vez na carreira. A estreante ressalta a importância de ser vista de perto pela comissão técnica:

“Eu não esperava pela convocação, venho fazendo alguns bons jogos e fiquei feliz quando o professor (Lucas Piccinato) me contou que talvez ia acontecer. Eu fiquei muito apreensiva e, no final, muito feliz com a convocação. Eu acho que isso na Pia é fundamental, saber como é o dia a dia do trabalho, e não só nos jogos, pra gente é uma coisa nova e diferente. Eu, particularmente, nunca tinha sido observada, e acredito que seja importante”, destaca Carol. 

Trabalho integrado junto com as outras comissões

Buscando integrar as metodologias e as estratégias de trabalho, as comissões técnicas das seleções principal, sub-17 e sub-20, têm trabalhado em conjunto, desde a retomada das atividades presenciais. Um dos objetivos no diálogo é o desenvolvendo das atletas e, consequentemente, da modalidade. 

Esta rotina, é feita entre Pia Sundhage (time principal), Simone Jatobá (sub-17) e Jonas Urias (sub-20), o que tem ajudado na transição das jogadoras e nas convocações para os compromissos de cada grupo. 

O trabalho até então, resultou na promoção das meias Vitória Yaya e Duda, para a Seleção Principal. Além disso, o time do sub-20 conta com quatro atletas, que tiveram passagem pelo sub-17: Kaylane, Ana clara, Ana Beatriz e Annaluyza “Goiás”. Para a auxiliar-técnica da equipe adulta, Beatriz Vaz, esse trabalho faz parte de uma estratégia pensada no desenvolvimentos das Seleções Brasileiras:

“Essa é uma construção coletiva entres as comissões, que propõe o entendimento e a conexão dos trabalhos. Pensamos não apenas no hoje, mas em frutos que podem ser colhidos a curto, médio e longo prazo”, destaca Beatriz Vaz.

Conforme a auxiliar da Seleção Sub-20, Jéssica de Lima, a troca de experiências entre as comissões técnicas, é algo bastante positivo e que virou um hábito principalmente no período de paralisação do futebol com reuniões:

“Essa integração se faz não apenas com as atletas, mas também dentro das nossas reuniões com trocas de ideias e de experiências. A Simone tem passado o que acha do futebol, filosofia de jogo dela, o que pensa, assim como a Pia com o olhar competitivo mundialmente. Essa integração veio em um momento que calha com o que estamos pensando para o futebol feminino. Estamos vendo com muito otimismo e isso serve de espelho para os clubes”, ressalta

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.