Edital “Na Nuvem” financia 102 projetos culturais para plataformas digitais

Cento e dois projetos de arte e cultura serão selecionados no “Na Nuvem – Edital de Incentivo à Cultura”, cujas inscrições serão abertas pela Fundação Cultural “Alfredo Ferreira Lage” (Funalfa) nessa terça-feira, 15. O investimento global é de R$ 77.520, de emenda parlamentar da deputada federal Margarida Salomão, e cada proponente contemplado receberá R$ 760 (brutos). A participação no edital é aberta a trabalhadoras e trabalhadores locais da cultura (pessoas físicas), que deverão se inscrever até o dia 30, pelo site funalfa.com.br/nanuvem, sendo exigida prévia inscrição no Cadastro Municipal de Cultura (funalfa.com.br/cadastro). No mínimo, 60% dos projetos selecionados deverão contemplar proponentes autodeclarados negros (pretos e pardos) ou indígenas. Todos os detalhes do novo edital serão divulgados pelo diretor-geral da Funalfa Zezinho Mancini e pela gerente de Fomento à Cultura, Tamires Fortuna, em live, nesta terça, às 19h30, pelo Instagram @funalfacultura.

“É uma grata satisfação anunciar esse edital, em momento tão delicado para todos os setores, e especialmente cruel na área da cultura, uma das mais afetadas pelas limitações impostas pela pandemia de covid-19. A reserva de 60% do total de recursos para segmentos historicamente alijados social e culturalmente também nos deixa satisfeitos e orgulhosos. É importante destacar que essa decisão teve apoio unânime dos integrantes do Conselho Municipal de Cultura (Concult), o que sinaliza que a cidade está antenada com os movimentos de inclusão e combate ao racismo”, avaliou o prefeito Antônio Almas.

O diretor-geral da Funalfa, Zezinho Mancini, explicou que a ideia do “Na Nuvem” é criar oportunidade para todos os segmentos do sistema da cultura. Todas as propostas devem ser experimentações digitais em torno do trabalho já desenvolvido pelo agente cultural: “Um ator, por exemplo, pode gravar um texto em vídeo ou fazer uma versão apenas de áudio. É possível, ainda, produzir uma série de fotos que narrem o mesmo texto. Um músico pode mandar um mp3, um vídeo com a música, ou criar um canal onde dê aulas de seu instrumento. Um técnico de luz pode fazer um vídeo sobre sua carreira, ou criar um blog no qual ensine fundamentos da iluminação cênica. Uma costureira pode fazer um vídeo, mostrando um tipo de ponto de costura. Um produtor pode realizar uma série de lives, falando sobre a importância do seu trabalho na cadeia da cultura”.

Mancini explicou que o nome do edital é uma referência ao fato de que todo o material será disponibilizado na internet, ficando hospedado “na nuvem”. Também é alusão ao momento atual nebuloso, com a atual situação da cultura e da produção. “Esse edital busca propor um olhar mais positivo sobre tudo isso. Há esperança quando olhamos pela janela (a de casa e ou as telas dos celulares, TVs e computadores) e acessamos cultura. Por fim, a nuvem também é a ideia, a criatividade, etérea, efêmera, mutante. Estamos falando de criação e ter uma nuvem como símbolo desse pensamento fluido e é bastante interessante.”

A seleção dos projetos será feita por comissão com seis especialistas, sendo três indicados pela Funalfa e três pelo Concult. O resultado final deverá ser divulgado até 10 de outubro. A entrega dos produtos deverá acontecer até 6 de novembro, e, no dia 13 do mesmo mês será lançado site reunindo todo o material produzido pelos contemplados.

Fonte: Assessoria

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.