Duas pessoas envolvidas em homicídios são presas pela PCMG

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), solucionou dois casos de homicídios, ocorridos nos meses de abril e maio em Juiz de Fora, que resultou na prisão de dois jovens de 22 anos e estão à disposição da Justiça.

De acordo com o titular da Delegacia Especializada de Homicídios, Delegado Rodrigo Rolli, um dos casos esclarecidos ocorreu no dia 23 de abril, no Bairro Granjas Três Moinhos. Naquela ocasião, um homem de 48 anos, foi executado com disparos de arma de fogo e que o fato estaria ligado “a uma tentativa de homicídio ocorrido ano passado e que era a mesma vítima naquela ocasião”.

A autoridade policial diz que o autor do crime ocorrido em abril, estava em sistema prisional e foi liberado no dia 23 do mesmo mês, sendo que “no dia seguinte foi executar a vítima. O autor estava com prisão domiciliar decretada e a motivação do crime seria por causa de uma audiência agendada referente ao crime ocorrido no ano passado. O único motivo que levou, segundo os próprios familiares em depoimentos bem minuciosos, demonstram que esse era o único motivo de desavença que existia por parte da vítima. Não tinha envolvimento com tráfico e nenhum outro tipo de criminalidade”.

O autor do crime teve a prisão preventiva decretada no último dia 9 desse mês e foi feito o pedido para converter prisão temporária em preventiva junto ao Poder Judiciário, e com o indiciamento do suspeito por homicídio consumado duplamente qualificado.

Conforme o inspetor Anderson Gibi, o autor foi encontrado em uma residência, onde estava escondido, no município de São João Nepomuceno e “em trabalho conjunto com  entre as Polícias Civil e Militar. No dia 9 de julho, ele foi preso e nessa prisão foi flagrado ainda um tráfico de drogas”. Investigações apontam que o jovem teria participação em uma tentativa de homicídio registrada no dia 29 de maio, ainda em São João Nepomuceno.

Segundo caso

Outra ocorrência referente a homicídio ocorreu no Bairro de Lourdes no dia 21 de maio, quando um jovem de 29 anos foi encontrado morto na linha férrea. O autor do crime já foi identificado pela equipe de investigadores, junto com um menor infrator que participou no crime. Após investigações, foi cumprido mandado de prisão expedido pela Justiça, a pedido da autoridade policial:

“O Poder Judiciário e o Ministério Público sempre nos auxiliam. Decretada essa prisão, o autor, que estava foragido, apresentou-se na Delegacia Especializada de Homicídios, nessa terça-feira (28)”, relata Rodrigo Rolli.

Conforme o inspetor Anderson Gibi, o crime ocorrido na linha férrea, tem relação com o tráfico de drogas e que o autor é um dos chefes de uma facção criminosa:

“Ali na região que permeia o Poço Rico e Bairro de Lourdes, existe uma organização criminosa que movimenta altos valores em relação ao tráfico de drogas, principalmente a venda de crack. Nesse caso, a vítima estava no local de venda de drogas, dessa facção criminosa. Ele havia sido avisado para parar com o comércio, porque ali não era o lugar dele, na linguagem do tráfico. A vítima continuou vendendo naquele ponto e um dia, o autor chegou no local junto com um menor, e efetuou o primeiro disparo. A vítima caiu e o autor conferiu para executar o crime de vez”.

 

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.