“Planejo chegar a Tóquio na melhor forma e lutar por uma medalha” diz Hugo Calderado em entrevista para o COI

Se preparando para disputar os Jogos Olímpicos de Tóquio, que foram adiadas para o próximo ano em decorrência da pandemia do Coronavírus, o mesatenista Hugo Calderano, concedeu uma entrevista para o Comitê Olímpico Internacional (COI), falando sobre a expectativa para os jogos e também sobre a epidemia da doença. Atualmente o atleta brasileiro vive na Alemanha e joga no TTF Ochsenhausen Club. 

No início da entrevista, Calderano relata sobre o sentimento ao receber a notícia do adiamento dos jogos e também fala sobre a sua atual rotina em meio a pandemia mundial:

“No começo, fiquei frustrado, mas sabia que não havia outra opção, considerando tudo o que o mundo está passando. Consegui me manter positivo e motivado para praticar. minha rotina não foi profundamente afetada, especialmente desde que começamos a praticar novamente, cerca de um mês atrás. Mas o maior desafio foi acompanhar as notícias do que está acontecendo com as pessoas no mundo – especialmente no Brasil – e tentar manter uma atitude positiva em relação ao que está por vir. ”

Mesmo diante da atual situação pelo mundo, Calderano diz que a pandemia permitiu que ficasse em casa, pois para ele, a programação do tênis de mesa e de atleta é muito movimentada, com direito a viagens para diversos cantos do planeta:

“Essa parte foi realmente positiva. A programação do tênis de mesa é muito movimentada, com o circuito internacional e as partidas da Liga Alemã. Eu raramente tenho a chance de ficar em casa e ter uma série de exercícios. Estou pronto para voltar às competições agora. Tenho saudade” diz Calderano que fala também que a pandemia permitiu que ele ficasse perto da mãe “Ela esteve aqui em março e não conseguiu voltar ao Brasil. É um bônus ter a chance de passar tanto tempo com ela depois de 10 anos vivendo separados. ”

Quanto à questão da rotina de treinamento, Calderano relata que no início da pandemia, sua equipe não pôde treinar no salão por algumas semanas. Diante disso, o treino teve que ser adaptado para ser feito em casa:

“Não fomos autorizados a ir ao salão por algumas semanas e tentei adaptar alguns treinos em casa. Eu trouxe uma mesa de tênis de mesa para o meu apartamento e alguns equipamentos para malhar. Não era possível manter o mesmo tipo de prática com que estou acostumado, mas tentei aproveitar o tempo para trabalhar em algumas coisas em que normalmente não tenho tempo para trabalhar.”

Sobre a preparação para os Jogos Olímpicos, Calderano diz que busca conquistar a medalha e também fala sobre ter mais tempo de preparação:

“Planejo chegar a Tóquio em sua melhor forma e lutar por uma medalha. Certamente farei o melhor uso possível do tempo extra” diz Calderano e finaliza a entrevista falando da meta atual “Neste momento, minha esperança é que o mundo consiga derrotar o novo coronavírus e que os Jogos sigam em frente como planejado” conclui. 

 

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.