Prevenção à covid-19 deve ser reforçada em época de frio

O aumento no número de casos de doenças respiratórias comum ao período de inverno acende o alerta para que a população reforce os cuidados de prevenção à covid-19 em Minas Gerais. O assunto foi destacado pelo secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, o médico Carlos Eduardo Amaral, durante coletiva virtual realizada nesta quarta-feira (5/8), em Belo Horizonte.

Amaral disse que  é possível haver um aumento nos números da doença no estado, devido ao frio. Entretanto, ele aposta na conscientização da população em relação ao reforço nos cuidados de prevenção à covid-19 – como a higienização constante das mãos e o uso de máscaras de proteção – para reduzir o impacto do fator climático.

“Atualmente, já temos a noção clara de que é preciso evitar aglomerações,  manter a ventilação adequada nos ambientes, além de fazer uso de máscara e realizar a lavagem das mãos. Por isso, entendemos que o frio pode trazer algumas mudanças, mas não seria algo tão impactante, devido ao trabalho que todos os mineiros estamos fazendo”, destacou o secretário.

Tendência à estabilização

Com relação ao cenário da covid-19 em Minas, Amaral registrou que o estado segue em fase de platô, com tendência à estabilização de casos, segundo os dados analisados diariamente pela SES-MG. Ainda assim, é cedo para falar em queda efetiva nos números relacionados à doença.

“As projeções anteriores mostravam que poderíamos ter um número maior de casos entre meados de julho e de agosto, configurando o pico da covid-19 no estado. Diante disso, desenvolvemos ações para evitar essa ocorrência. Exemplo vem das reuniões realizadas com as prefeituras e a sugestão para que os municípios com mais flexibilização retrocedessem. Hoje, tudo indica que conseguimos evitar aquele nível tão alto e estamos trabalhando num platô. A atual projeção sugere que vamos seguir algum tempo nesse nível até que os números comecem a cair”, detalhou o secretário.

Minas Consciente

Durante a coletiva, o secretário de Estado Adjunto de Saúde, Marcelo Cabral, reforçou que a adesão dos municípios ao plano Minas Consciente é voluntária. “A nova versão do Minas Consciente, procurando atender às sugestões enviadas por meio de consulta pública, buscou privilegiar a compreensão de diferentes fatores que impactam os municípios. Reforçamos que a adesão ao plano é voluntária, ocorrendo por meio de decreto municipal”, pontuou Cabral.

Até o momento, 382 municípios já aderiram ao Minas Consciente, representando um impacto em cerca de 9 milhões de pessoas.

Fonte: Agência Minas

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.