Governo faz trabalho constante para minimizar efeitos da pandemia

Como estratégia para combater a covid-19 e salvar vidas, o Governo de Minas investe em ações, serviços e infraestrutura para melhorar e ampliar a assistência necessária aos pacientes. Desde fevereiro, houve um acréscimo de 48% no número unidades de terapia intensiva (UTI) da rede pública do Estado, passando de 2.013 para 2.964 neste momento, aumento de 951 leitos habilitados. Em relação aos clínicos, já são 12.928 leitos habilitados, 1.303 a mais do que havia em fevereiro (11.625).

Outra medida de enfrentamento à doença foi a construção do Hospital de Campanha, instalado no Expominas, em Belo Horizonte. Considerada uma reserva técnica, a ser acionada em caso de necessidade, a unidade conta com 768 leitos, sendo 740 de enfermaria e 28 de estabilização.  O investimento total é de R$ 5,3 milhões, sendo que 80% desse montante foi obtido por doações. O valor unitário dos leitos foi de R$ 6.901,05.

Usados em pacientes graves, novos respiradores serão entregues nos próximos dias em todo o estado. Ao todo, o Governo de Minas adquiriu 1.047 respiradores, resultado de compra financiada com parte do valor depositado em juízo pela Samarco e suas controladoras (Vale e BHP), a título de compensação pelo rompimento da barragem da mineradora em 2015, em Mariana.

Até o momento, do total de equipamentos adquiridos, 400 já foram entregues. Outros 150 serão destinados a hospitais mineiros em breve. O valor unitário dos respiradores é, em média, de R$ 50 mil.

Além dos novos, há os equipamentos recuperados pelo Estado. Segundo dados da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), foram recolhidos 460 respiradores. Desses, 59 estão sem condições de reparo, 58 em manutenção e 343 já foram consertados. Da remessa de recuperados, 117 já foram devolvidos para as unidades hospitalares de origem.

Equipamentos

Para auxiliar os profissionais de Saúde que trabalham na linha de frente, o Governo de Minas criou o programa Minas Protege, lançado oficialmente em 28 de abril.  O objetivo é garantir aos municípios a compra dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) a preço de custo, já que as prefeituras estavam com dificuldade de aquisição. Em alguns casos, a redução no custo do produto chega a 50%.

Já são 97 municípios que aderiram ao programa. Até o momento, o valor total executado pelas prefeituras é de cerca de R$ 20 milhões. 

Minas Consciente

Criado para orientar a retomada gradual e segura das atividades econômicas no estado, o Minas Consciente já teve adesão de 155 municípios mineiros, abrangendo 3,7 milhões de habitantes. No plano, feito em parceria pela Secretaria de Saúde (SES-MG) e pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sede), prefeitos, empresários e cidadãos encontram todas as normas e medidas de segurança necessárias para cada ramo de atividade. O objetivo dos protocolos é coordenar essa retomada, sempre colocando a vida dos mineiros em primeiro lugar.

Fonte: Agência Minas

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.