Mais de dois mil cartões postais da 1ª Guerra são digitalizados no arquivo do Museu

Além das coleções em processo de digitalização no arquivo histórico da Fundação Museu “Mariano Procópio”, outras áreas da instituição realizam a atividade, para proteção da informação contida no acervo em papel. Recentemente, aproximadamente 2.100 cartões, referentes à 1ª Guerra Mundial, pertencentes à coleção “Viscondessa de Cavalcanti”, foram digitalizados. Os itens fazem parte do acervo fotográfico do Museu. Dentre as ilustrações, destacam-se caricaturas, alegorias, representações femininas, imagens de fronte e campo de concentração.

Assim como a preservação dos itens, e acondicionamento com material especial para este tipo de acervo, o arquivo fotográfico promove palestras em parceria com os arquivos históricos, biblioteca, reserva técnica e laboratório de restauração e conservação de papel, em atividades de fomento à difusão do acervo do Museu. A instituição atende a demandas de pesquisas. A digitalização dessa coleção contribui para os estudos referentes ao seu tema e período histórico. A solicitação para consulta é realizada através de formulário disponibilizado pelo Departamento de Acervo Técnico e Cultural (Datec).

Sobre a coleção

Amélia Machado Coelho Cavalcanti de Albuquerque (1852-1946), a Viscondessa de Cavalcanti, era prima de Alfredo Ferreira Lage, fundador do Museu “Mariano Procópio”. Assim como ele, era colecionista, e vários itens de seu acervo foram doados à instituição. A cartofilia era um de seus hobbies, e, dentre os mais de cinco mil cartões de sua coleção, 2.100 são referentes à 1ª Guerra Mundial. A maioria dos itens foi adquirida para compor a coleção, mas alguns foram postados e possuem comunicação com a Viscondessa.

O interesse por colecionar estes postais se deu por sua proximidade com a guerra. Durante este período, Amélia vivia na Suíça, país considerado neutro, mas que possibilitava o acesso rápido às informações. Além disso, era membro da Cruz Vermelha Internacional, organização responsável pela ajuda humanitária.

Fonte: PJF

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.