Projeto em trâmite na Câmara propõe capacitação de estudantes

Uma das propostas em trâmite na Câmara é criação do projeto Guardiões do Bairro e Guardiões da Escola com o intuito de reduzir a violência entre crianças, adolescentes e jovens. O Programa Pró Paz será instituído no município por meio da Base Comunitária de Ensino para atender a demanda do público alvo de 07 a 29 anos de idade, em especial às crianças, adolescentes e jovens que estejam cursando o ensino fundamental, o ensino médio e o Educação de Jovens e Adultos (EJA) e apresentem-se como voluntários em suas respectivas escolas. O projeto de autoria do vereador Juraci Sheffer (PT) está passando pelas avaliações das comissões temáticas do Poder Legislativo, para em seguida, ser encaminhado ao plenário.

A proposta é trabalhar um programa contra as drogas e capacitar os jovens como multiplicadores e conselheiros. Outro ganho esperado é a melhora da relação interpessoal e trans-pessoal de crianças e adolescentes no seio familiar e na comunidade no entorno das escolas, em especial perto dos lugares onde o crime organizado e as facções criminosas estão agindo com mais freqüência.  Envolver famílias, igrejas, escolas, poder público, vizinhos e amigos, em um grande movimento de prevenção e enfrentamento às drogas e defesa da juventude, também designado de recapa (rede de crianças e adolescentes protegidos e acolhidos).

Passo a passo do treinamento

Em curto prazo (ação piloto) – estimular a pró-atividade das crianças, adolescentes e jovens junto às escolas, igrejas, comunidades e aglomerados, dando ênfase às missões urbanas.

 

Em médio prazo (em média 6 meses) – capacitar e qualificar voluntários, com expertise em ajuda pós desastres/calamidades, escolar e de vulneráveis (promoção de ajuda humanitária pela força do serviço voluntário), bem como o desenvolvimento de programas de prevenção às drogas com o projeto “a verdade sobre as drogas”, para a entrada nas escolas e desenvolvimento de metodologia com orientação cívico-militar, com amparo no inciso v, art. 16, Decreto 9665/19 do MEC.

 

Em longo prazo (em média 12 meses) — estágio probatório para formação de agentes multiplicadores, com estratégia pioneira por ações pontuais junto à infância e juventude de proteção e acolhimento, formando profissionais de verbalização (palestrantes, conselheiros, educador social, etc), com os próprios alunos da rede pública de ensino e apoio do programa de ensino de tempo integral. O protocolo deste portfólio visa mobilizar órgãos de governo e a sociedade civil para juntos colocar jovens/adolescentes participantes do projeto no mercado de trabalho formal, com amparo da Lei 12.852/2013 (Estatuto da Juventude), como menor aprendiz e outros meios intermediários da força tarefa de ajuda humanitária.

Fonte: CMJF

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.