Polícia Civil investiga apropriação indébita e possíveis fraudes no comércio de Muriaé

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) investiga a prática de apropriação indébita e de possíveis fraudes no comércio da cidade de Muriaé, cidade que fica a cerca de 160 quilômetros de Juiz de Fora. Na quarta-feira, 14, a Polícia Civil deu início a “Operação Fraudator” e cumpriram três mandados de busca e apreensão em residências e em um estabelecimento comercial na cidade.

A ação resultou na apreensão de bolsas, dinheiro, equipamentos eletrônicos, entre outros objetos. De acordo com as informações da assessoria da Polícia Civil, na última semana os policiais já haviam localizado um container refrigerado em um clube recreativo, na Zona Rural da cidade. As investigações apontam que suspeitos da prática de apropriação indébita do container também estariam envolvidos em fraudes no comércio.

Foto: Divulgação Polícia Civil

A operação ocorreu após dois meses de investigações da Delegacia de Defraudações de Muriaé, conduzida pelo Delegado Titular Fábio Correia do Nascimento. A ação contou com apoio da equipe do delegado e de investigadores de outras unidades da 4ª Delegacia Regional de Muriaé. “Tais diligências ensejaram na primeira fase da denominada ‘Operação Fraudator’, que teve como nascedouro a notícia da prática, em tese, da apropriação indébita de um container refrigerado, de vinte pés, de valor comercial aproximado de R$25.000, oriundo de uma locação realizada na cidade de Itaperuna, Rio de Janeiro, transportado para Muriaé e não mais devolvido ao proprietário”, explicou a autoridade policial por meio da assessoria.

Ainda segundo o Delegado, os equipamentos eletrônicos, documentos e dinheiro encontrados durante a “Operação Fraudator” foram apreendidos para averiguações. A Polícia Civil investiga a participação de três pessoas no caso. As diligências seguem em andamento.

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.