PJF retira 15 toneladas de entulho em casa do bairro Ipiranga; ações de Educação em Saúde de Combate à Dengue retornam nesta terça-feira

Cinco caminhões de entulho e materiais inservíveis, totalizando aproximadamente 15 toneladas, foram retirados pela equipe da “Sala de Operações da Dengue” de uma casa localizada na rua Olívia Moreira, no bairro Ipiranga, zona Sul de Juiz de Fora.

A ação foi realizada pela força-tarefa na moradia insalubre, considerada foco gerador do Aedes aegypti, na última sexta-feira, 2 de agosto. Participaram 30 servidores da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), entre agentes de combate a endemias da Secretaria de Saúde (SS), fiscais da Secretaria de Meio Ambiente e Ordenamento Urbano (Semaur), servidores do Departamento Municipal de Limpeza Urbana (Demlurb) e equipe da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS).

O Aedes aegypti é transmissor da dengue, zika e chikungunya, doenças que podem matar. Conforme a PJF, com este trabalho, os agentes de combate a endemias do Departamento de Vigilância Epidemiológica e Ambiental (Dvea) buscam impedir a proliferação do mosquito na região, e ampliando as ações durante a semana, vistoriando residências da cidade. Os depósitos encontrados são tratados e os focos eliminados.

 

Chega a 12 o número de mortes por dengue em Juiz de Fora

Na última semana, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) confirmou mais duas mortes por dengue em Juiz de Fora. Ao todo, já são 12 mortes pela doença na cidade em 2019.

A informação consta no boletim divulgado na última segunda-feira, 29 de julho. Na Zona da Mata, uma morte por dengue já havia sido registrada na cidade de Guarani, totalizando 13 mortes confirmadas pela doença na região. De acordo com a SES-MG, em Minas Gerais, foram confirmados 117 óbitos por dengue. Em 2019, em todo o Estado, foram registrados 460.721 casos prováveis (casos confirmados + suspeitos) de dengue.

Minas Gerais está em situação de alerta para o aumento no número de casos das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti–dengue, chikungunya e zika. Juiz de Fora está entre as cidades com os maiores registros de mortes pela doença, ficando atrás apenas de Betim (18), Belo Horizonte (17) e Uberlândia (16).

Ainda conforme os dados, em relação à febre chikungunya, Minas Gerais registrou 2.665 casos prováveis em 2019. Até o momento, foi confirmado um óbito para chikungunya do município de Patos de Minas. Já em relação à zika, foram registrados 958 casos prováveis da doença em 2019.

 

Combate à Dengue: ações de Educação em Saúde retornam na próxima semana

A programação de ações de Educação em Saúde de Combate à Dengue retorna nesta terça-feira, 6, junto com o início do novo período letivo. O Departamento de Vigilância Epidemiológica e Ambiental (Dvea) dá sequência às atividades de conscientização, a fim de que a população continue alerta para a importância do combate ao Aedes aegypti.

Nesta terça-feira, 6, às 14h30, uma equipe do setor de Educação em Saúde vai ministrar palestra para os assistidos, no Centro de Referência de Assistência Social (Cras), unidade Centro, localizada na Rua Espírito Santo, 456. Na mesma data e horário, outra equipe realizará palestra e exposição de animais peçonhentos no Polo de Evolução de Medidas Socioeducativas (Pemse/Betânia).

Já na quinta-feira, 8, às 8h30, está programada outra palestra no Cras Centro. De acordo com a supervisora do setor de Educação em Saúde, Lívia Passarela, durante a atividade são trabalhadas questões referentes ao Aedes aegypti, tais como, quais doenças ele transmite e seus sintomas, quais são os sorotipos da dengue, o ciclo evolutivo do mosquito, as formas de prevenção e os cuidados que devem ser tomados em casa e, também, mitos e verdades a respeito das arboviroses.

Conforme o departamento, empresas, escolas ou instituições interessadas em agendar palestra de educação em saúde podem enviar o pedido via e-mail (educasaude@pjf.mg.gov.br) ou ligar para o telefone 3690-7534.

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.