Comissão do Idoso propõe a criação de um consórcio para combater a violência contra idosos

Comissão do Idoso propõe a criação de um consórcio para combater a violência contra idosos

A Comissão de Defesa dos Direitos dos Idosos se reuniu nesta terça-feira, 09, para debater possíveis ações de combate à violência contra a pessoa idosa. Estiverem presentes o presidente da Comissão, Kennedy Ribeiro (MDB), e os vereadores Vagner de Oliveira (PSC), João Coteca (PR) e Ana do Pde. Frederico (MDB), além de representantes de entidades como o Núcleo de Atendimento ao Idoso; o Conselho do Idoso; a Secretaria de Desenvolvimento Social; a Ordem dos Advogados de Minas Gerais (OAB); a Câmara Sênior; o Centro de Convivência do Idoso; a Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac) e o Departamento da Saúde do Idoso.

Kennedy destacou que o objetivo da reunião foi propor ações efetivas para diminuir os índices de violência contra o idoso. “Essa é uma situação que está nos preocupando muito, porque ano passado a Secretaria Estadual de Segurança Pública registrou ao todo 3.240 casos de violência contra a pessoa idosa. Só nos quatro primeiros meses deste ano, já foram registrados 1.175 casos, então precisamos dar um jeito de reduzir esses números e a Comissão vai trabalhar para isso”, afirma.

Com esse objetivo, a Comissão irá criar, em conjunto com entidades e órgãos municipais, um consórcio para possibilitar a comunicação e o trabalho em rede no combate à violência contra idosos. “Nossa intenção é criar uma cadeia para dar continuidade ao nosso trabalho e facilitar a resolução de problemas, possibilitando o apoio entre as entidades e as pessoas”, explica Kennedy.

Núcleo de Atendimento ao Idoso

A reunião recebeu a delegada Patrícia Ribeiro, que há cerca de um mês se tornou titular do Núcleo de Atendimento ao Idoso da Polícia Civil em Juiz de Fora. O núcleo, como esclareceu Patrícia, é responsável por atender aos crimes que estão previstos no Estatuto do Idoso. “Muita gente pensa que somos responsáveis por atender todos os casos que acontecem contra o Idoso, mas só são apurados lá as situações abarcadas pelo Estatuto do Idoso, como, por exemplo, a apropriação dos valores, casos maus tratos e de abandono”, explica a delegada. As denúncias podem ser feitas pelo Disque Denúncia Unificado (DDU) ou na própria Delegacia, que funciona de 9h às 16h, no terceiro andar do Santa Cruz Shopping.

O Núcleo de Atendimento ao Idoso possui, além da delegada Patrícia, uma escrivã e três investigadores. “Neste mês em que assumi a delegacia, conseguimos colocar mais um policial. O ideal seria que tivéssemos mais pessoal e uma viatura, para conseguirmos atender mais casos”, pontuou a delegada. Ela ressaltou também que seria essencial ter psicólogos e assistentes sociais no Núcleo. Atualmente o Núcleo tem uma parceria com o curso de psicologia do Centro de Ensino Superior (CES), que disponibiliza alunos para atuarem como estagiários na delegacia. “Poucas pessoas acabam registrando a denúncia no Núcleo, porque querem tomar uma providência, mas não querem envolver a polícia por medo de denunciar o filho ou algum outro parente. Então, alguns levamos para a mediação de conflitos ou encaminhamos à psicologia”, disse a delegada.

 

Fonte: CMJF

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.