Polícia Civil conclui inquérito sobre o caso do empresário suspeito de ter sido morto pelo filho em Juiz de Fora

Nesta quarta-feira, 26, a Polícia Civil (PC) concluiu o inquérito referente ao caso do jovem, 24 anos, suspeito de matar o próprio pai, um empresário de 64 anos, em Juiz de Fora. Inicialmente, o caso teria sido registrado como desaparecimento. O corpo do empresário foi encontrado no distrito de Sarandira, na noite do dia 30 de maio.

Após as investigações, os policiais civis da 1ª Delegacia de Polícia desvendaram o crime e prenderam, na data em que o corpo foi encontrado, o filho da vítima por ter cometido o homicídio.

Conforme as informações da PC, durante as apurações, o suspeito confessou ter praticado o crime, que teria ocorrido por conta de uma discussão entre pai e filho, no interior do veículo do rapa. Ainda conforme as informações, a discussão teria resultando na morte do idoso, que foi atingido por um disparo de arma de fogo na cabeça. As imagens de câmeras de segurança também auxiliaram na investigação.

Segundo odelegado Luciano Vidal, responsável pelo caso, o inquérito policial foi concluído e remetido à Justiça na tarde desta quarta-feira, 26. “Com o pedido de conversão da prisão temporária em prisão preventiva. O autor foi indiciado por homicídio, ocultação de cadáver e fraude processual. No caso da fraude processual, é pelo fato de ter limpado o carro, dispensado o celular do pai e as roupas dele (suspeito), sujas de sangue, com o intuito de apagar provas”, informou.

Ainda de acordo com o delegado, os resultados dos laudos ficaram prontos, entre eles, o de necropsia, que confirmou que o projétil de arma de fogo, calibre 22, que vitimou o idoso, é da arma que o investigado possui. Segundo ele, a amostra de sangue colhida no interior do veículo e o DNA colhido no corpo da vítima foram enviados para Belo Horizonte.

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.