Polícia Civil apreende armas e toneladas de drogas em Juiz de Fora

Na manhã desta quarta-feira, 22, a Polícia Civil de Juiz de Fora divulgou o resultado da “Operação Murum”, que culminou na maior apreensão de drogas e armas da história de Juiz de Fora, e a maior em Minas Gerais este ano.

A operação foi deflagrada na terça-feira, 21, por meio da Inspetoria Regional de Investigadores e a Delegacia Antidrogas, sob comando do Delegado Rogerio Woyame. Após meses de investigações a respeito de um homem, que atuava em conjunto com criminosos do Rio de Janeiro, levando armas e drogas para serem distribuídas em Juiz de Fora e no Rio de Janeiro, os policiais chegaram ao endereço de um sítio no distrito de Torreões.

Segundo as informações da Polícia Civil, as organizações criminosas utilizavam o local como “porto seco”, no qual as drogas e o armamento, considerado de guerra, vindos do Paraguai seriam armazenados e posteriormente distribuídos na cidade mineira e na capital fluminense.

Ao chegarem ao local, os civis encontraram um caminhão com um fundo falso onde estavam escondidas armas, sendo 8 fuzis, duas escopetas calibre 12, 23 pistolas e dois revólveres, cerca de 1000 munições, além de três toneladas de maconha. Ainda no local, o homem, 38 anos, que estava sendo investigado pela Polícia Civil, foi preso em flagrante por tráfico internacional de drogas e tráfico internacional de armas. Um carro também foi apreendido.

Foto: Divulgação PC

Ainda conforme as informações da PC, durante as diligências policiais civis encontraram caixas de munições que demonstram a origem paraguaia dos materiais apreendidos. O Delegado Regional, Armando Avolio, ressaltou a importância da apreensão realizada pela equipe da Polícia Civil, que além de retirar um arsenal bélico da posse dos criminosos, resultou também na maior apreensão de maconha em Juiz de Fora, dando fim ao esquema criminoso que fazia utilizava a cidade para guardar as armas e drogas das facções criminosas cariocas. Segundo Delegado Rogério Woyame, “a gente percebeu que pelo modo da organização criminosa funcionar, pelo tipo da apreensão dos materiais, da quantidade de droga e do armamento, ficou claro que a procedência desse material veio do Paraguai e parte dele estaria indo para o Rio de Janeiro”, disse.

De acordo com a PC, com as armas e drogas apreendidas, é estimado um prejuízo de cerca de 5 milhões de reais para a organização criminosa. O nome da operação “Murum”, muralha em Latim, faz alusão a PC formando uma muralha, protegendo a entrada e comercialização de drogas na cidade.

Foto: Divulgação PC

Mais detalhes sobre o homem preso em flagrante não foram divulgados, pois às investigações terão continuidade para que se chegue ao grupo responsável pelo esquema de tráfico.

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.