Onça-pintada é capturada e transferida de Juiz de Fora

A onça-pintada avistada por um vigilante ao redor da sede administrativa do Jardim Botânico da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) na noite do dia 25 de abril foi capturada no último domingo, 12. O animal foi capturado às 20h27, em uma armadilha de caixa, posicionada em uma trilha no lado direito do primeiro lago do Jardim Botânico.

As quatro caixas metálicas foram instaladas entre quinta e sexta-feira, 10, e somaram-se as outras seis armadilhas de laços que já estavam em funcionamento no local. “Era um local que ela passava recorrentemente”, disse o professor do Departamento de Zoologia da UFJF, Artur Andriolo, na noite da captura.

As buscas pela onça-pintada duraram 17 dias. Na manhã desta segunda-feira, 13, integrantes da Comissão Interinstitucional concederam uma entrevista coletiva e repassaram detalhes sobre a captura. De acordo com os detalhes repassados, o estado de saúde do animal é considerado bom e ele foi levada pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF) para uma área florestal ampla, distante de área urbana. O trajeto está sendo acompanhado por médico veterinário do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros (Cenap/ICMBio).

Ainda conforme a UFJF, o nome do local está mantido em sigilo a pedido da área florestal que irá recebê-lo. Dessa forma, tenta-se evitar a atração de caçadores para a região e de outros agentes que possam representar riscos ao animal. Segundo o professor Fernando Azevedo, da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), membro da equipe, o animal está robusto, com todos os dentes e não apresenta  arranhões.  “Isso é típico de um animal que ainda não brigou, não enfrentou outro macho e está se dispersando. A pelagem está boa, sem carrapatos, disse.

Ainda conforme as informações divulgadas pela UFJF, as suspeitas de que a onça é macho foram confirmadas. O animal tem 51,6 quilos, 1,81 metro de comprimento e aproximadamente 4 anos. A idade foi estimada pelo tamanho e estado dos dentes. Durante o trabalho após a captura, a equipe coletou amostras de sangue, urina e pelo, que vão ser analisados pela UFJF e pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros (Cenap/ICMBio), localizado em Atibaia (SP).

O animal tem 51,6 quilos, 1,81 metro de comprimento e aproximadamente 4 anos. Foto: Raul Mourão e Marcos Perobelli

REABERTURA DO JARDIM BOTÂNICO

Após a transferência da onça-pintada, a UFJF se prepara para a reabertura do Jardim Botânico, que foi fechado temporariamente no dia 26 de abril, após a UFJF tomar conhecimento da presença do felino no local. De acordo com a instituição, a previsão é de que os portões permaneçam fechados pelas próximas duas semanas. O Jardim Botânico foi inaugurado no dia 12 de abril.

HISTÓRICO

A decisão de fechar temporariamente o Jardim Botânico foi anunciada no dia 26 de abril, um dia após a onça-pintada ser avistada no local, na noite do dia 25 de abril. Na data em questão, foi feito o primeiro registro em vídeo do animal, que foi avistado ao redor da sede administrativa do Jardim Botânico, pelo vigilante por volta de 21h15.

No sábado, 27 de abril, pegadas e fezes do animal foram encontradas no Jardim e no estacionamento da Igreja Batista Resplandecente Estrela da Manhã. Com isso, mais cinco câmeras foram instaladas e registram a passagem do animal na área. Vídeos e fotos da onça também foram feitos em área urbana, em frente a hotel, ruas e próximo a uma praça no Bairro Industrial. Conforme a UFJF, as imagens foram determinantes para a decisão de captura e translocação do animal.

Já no dia 3 de maio, começaram a ser instaladas armadilhas de laço, camufladas no solo, e, posteriormente, quatro armações de caixa com iscas dentro também foram montadas. Após dez dias, a onça foi capturada pela equipe.

Conforme foi informado anteriormente pela UFJF, a onça-pintada foi avistada em pelo menos seis localidades em Juiz de Fora. Na madrugada de terça-feira, 7, por volta das 2h30, um policial militar fotografou a onça-pintada às margens do Rio Paraibuna, na Avenida Garcia Paes Rodrigues, próximo ao Parque de Exposições, na zona Norte.

Ainda durante a madrugada do dia 7, câmeras de vigilância de um apartamento, localizado no Bairro Industrial, flagraram, às 3h da manhã, o felino circulando pelas ruas Henrique Simões e Salvador Nota Roberto. Conforme a UFJF, mais tarde, às 5h, armadilhas fotográficas flagraram o animal passando pelo Jardim Botânico da UFJF.

Além desses flagrantes, a movimentação do animal fora da área do Jardim Botânico foi registrada em outros pontos, como o estacionamento de um hotel na madrugada de 26 de abril e no estacionamento de uma igreja ao lado da mata no dia 1º de maio.

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.