Especialista dá dicas de como os pais podem evitar ciúmes entre irmãos

É normal que o primogênito, ao receber a notícia de que vai ter um irmão, demonstre insatisfação, ciúmes ou frustração com a novidade. Pensando nisso, levamos algumas dúvidas para a psicóloga e mestre em psicologia, Isabela Fernandes, para que possa ajudar nas dúvidas e tentar ajudar aos pais que estão enfrentando situações parecidas.

Existe uma idade/tempo certo para ter um segundo filho?

“Não existe uma fórmula mágica, pré-determinada, para quem quer ter um segundo filho.O importante é que seja assegurado o desenvolvimento saudável das crianças.É importante que os pais tenham também uma disposição física, emocional, financeira, além do tempo para dedicar aos filhos.

Em tese, o ideal é ter outro filho, com uma diferença de 2 há 4 anos do primeiro. Ter um segundo filho com um tempo inferior de 2 anos da gestação anterior fica complicado por questões fisiológicas, pois a mãe pode ainda não ter se recuperado do parto. E ter outra gestão acima de 4 anos gera uma possibilidade muito grande dos pais jogarem a responsabilidade para o filho anterior, em cuidar do irmão mais novo, possibilitando o vínculo de cuidador e não de irmão. “Mas como disse, não existe uma receita certa, isso dependerá de cada família.”

A criança ao saber da notícia de um novo irmãozinho pode ficar feliz no momento,mas após o nascimento, a criança mais velha pode ter ciúmes do irmão que acabou de nascer. Este tipo de situação é normal?

“É normal. O sentimento de um irmão, quando recebe a notícia de outro irmãozinho, é muito ambivalente, uma hora ele gosta e outra hora ele detesta, e o ciúme acaba fazendo parte deste processo.

Quando o filho mais velho recebe essa notícia, a tendência é que ele receba de forma positiva, pois é uma novidade, algo que a criança vai idealizando em sua cabecinha como deve ser o irmãozinho.

Mas quando nasce o bebê, a criança começa a perceber que começa a perder alguns privilégios e ter que compartilhar coisas que antes era somente dele, isso vai gerando um desconforto, ou até mesmo um sentimento de raiva, podendo gerar uma competição por parte do irmão mais velho”.

É comum o mais novo ter ciúme do mais velho? O ciúme é mais comum pelo irmão mais novo ou pelo mais velho?

“O irmão mais novo pode ter sim ciúme do mais velho, mas essa situação é menos comum. Quando existe essa situação, ela ocorre geralmente quando os irmãos estão mais velhos, na situação que o irmão mais velho tem um maior destaque ou uma maior valorização por parte dos pais.”

Como os pais conseguem evitar o ciúme entre os irmãos?

“É importante que os pais não escondam dos filhos a notícia de uma nova gestação. Os pais devem ser sempre transparentes e incluir seus filhos nas atividades que estão sendo realizadas para a chegada de um novo bebê, por exemplo, na montagem do quarto, na escolha do enxoval, no momento que for realizar a ultrassom, entre outros momentos.

Nos dois casos de ciúmes, tanto do mais velho com o mais novo, ou ao contrário, o diálogo é sempre importante, pois as crianças têm sempre muitas ideias fantasiosas em relação as circunstâncias. Com os pais esclarecendo isso, os filhos terão contato com a realidade de uma forma mais palpável, diminuindo o desconforto.

Embora um bebê demande um maior tempo de atenção, é fundamental que os pais reservem tempo exclusivo para ficar com seus filhos, para evitar uma rivalidade de qualquer uma das partes. E quando existir o ciúme, tente tratar de uma forma mais natural possível, evitando um enfoque maior.

O diálogo com os filhos é um dos primeiros passos para não haver ou evitar o ciúme entre os irmãos.

É importante colocar um limite nas situações, deixando-o bem claro para as crianças. Mostre para o filho mais velho que o irmão mais novo chegou para ter um espaço dentro da dinâmica familiar, faça com que ele entenda que ele terá que abrir mão de algumas coisas, mas que ganhará outras mais importantes.”

Esse ciúme pode interferir no desenvolvimento da criança? De qual forma? E na vida adulta?

“Na infância é muito comum que o ciúme gere a ansiedade, a insegurança e irritabilidade. Isso pode se manifestar de forma muito ambivalente, onde a criança pode passar ater muito medo, ou se mostrar mais agressiva. Para a criança isso é um conflito cognitivo que ela precisa resolver para poder avançar isso de uma forma positiva. Então, o ciúme tem que ser trabalhado e superado, para que a criança não carregue essa insegurança para a vida adulta.”

Quais os sinais de alerta do ciúme?

“Quando os filhos partem para a violência, que bate no irmão mais novo, ou que expressam com frases – eu não gosto do meu irmão – ou –eu quero que vocês devolvam ele – este tipo de expressões negativas, são sinais de alertas para que os pais fiquem de olho e procurem uma ajuda de um especialista.

Outros sintomas que merecem serem observados, são os de regressão, quando a criança parou de usar chupeta e volta a usar, ou quando a criança tenha parado de fazer xixi na calça e volta com essa atitude, ou quando a criança não quer mais interagir com outras crianças, se isolando, ou quando reagem à vinda de um novo irmão de forma como nada estivesse mudando. Essas situações são sinais de alertas para os pais, que merecem observar mais seus filhos e procurarem um especialista.”

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.