O ano de 2019 começa com um novo governo e a esperança de que seja retomado o caminho do crescimento econômico. Atravessamos um período difícil, em que a recessão impediu os avanços necessários para que o país cumprisse com os seus objetivos econômicos e sociais. Apesar de todos os problemas vividos no ano passado, o Centro de Integração Empresa-Escola do Estado do Rio de Janeiro se empenhou na manutenção dos seus programas, acolhendo as necessidades do jovens em busca de uma colocação no mercado de trabalho.

Dentro desses parâmetros, foi possível atender, com a qualidade que sempre marcou a atuação do CIEE-RJ, a 18.259 aprendizes e 29.000 estagiários. Preocupados com a formação dos participantes dos nossos eventos, realizamos quatro seminários sob o tema “Automutilação e suicídio – como andam as relações”, nos municípios de Rio de Janeiro, Nova Iguaçu, Niterói e Barra Mansa, graças às solicitações de instituições parceiras.

Cerca de 3.500 jovens foram certificados nos cursos de Inclusão Digital. Vale ressaltar que, ainda dentro desse segmento, também receberam aulas 1.660 pessoas com mais de 40 anos, mostrando a importância das novas tecnologias no mundo corporativo. Iniciamos atividades junto ao Degase – Departamento Geral de Ações Socioeducativas, órgão vinculado a Secretaria de Estado de Educação, atendendo jovens em medidas socioeducacionais. Sem falar que mantivemos parcerias com 3.875 empresas e com quase todas as instituições de ensino do território fluminense. Um caso peculiar foi o convênio com a Fundação Cesgranrio, que permitiu diversas audições do Coral de Deficientes Visuais, sempre emocionando a plateia.

Somos uma instituição não governamental de Assistência Social, que segue as diretrizes e objetivos da Política Nacional de Assistência Social. Isso quer dizer que as nossas ações devem ser realizadas de forma integrada às políticas setoriais, superando a pobreza e procurando garantir o provimento de condições para atender às contingências sociais e à universalização dos direitos sociais. É o que preconiza a Política Nacional de Assistência Social, através, por exemplo, da Lei 8.069/1990, que regulamenta o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), e da Resolução nº 33/2011, que define a Promoção da Integração ao Mundo do Trabalho.

Os quadros apresentados atestam o esforço que a equipe de colaboradores do CIEE/RJ, distribuídos nas 12 unidades que atendem jovens de 95% do território fluminense, desenvolve para cumprir as diretrizes emanadas das autoridades da área de Assistência Social. Estamos presentes em Barra Mansa, Campos dos Goytacazes, Duque de Caxias, Macaé, Niterói, Nova Friburgo, Nova Iguaçu, Petrópolis, Resende, Rio de Janeiro, Teresópolis e Três Rios. Em nosso cadastro, temos 3.450 empresas no Programa de Estágio e 2.460 no Programa de Aprendizagem. Também contamos com 1.567 instituições de ensino parceiras, que ajudam a levar adiante essa missão que dignifica e honra a nossa atuação, e promove o desenvolvimento do Estado do Rio.

Nossa missão é a empregabilidade e a inserção no mercado de trabalho de jovens e adolescentes, oferecendo cursos e atividades, sempre procurando a melhoria da qualidade de vida da população fluminense, especialmente da sua parcela mais jovem.

Arnaldo Niskier

Arnaldo Niskier – da Academia Brasileira de Letras, Doutor em Educação pela UERJ e Presidente do CIEE/RJ

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.