26 pessoas foram presas durante megaoperação da Polícia Civil em Juiz de Fora

Até o momento, 26 pessoas foram presas durante uma megaoperação da Polícia Civil realizada, neste sábado, 9, em Juiz de Fora, nos Bairros JK, São Benedito, Ipiranga, Aeroporto e Grambery. A ação, desencadeada durante a madrugada, tem como objetivo o combate do tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e o crime organizado.

Durante a ação, foram cumpridos mandados de busca e apreensão e de mandados de prisão que culminaram no desmantelamento de uma organização criminosa, envolvida nos crimes de tráfico de drogas, lavagem de dinheiro, associação para o tráfico, receptação e porte ilegal de arma de fogo. Além disso, os suspeitos teriam participação em homicídios ocorridos na cidade.

Segundo as informações da Polícia Civil, entre os presos estão os que chefiavam o grupo, dois dos três “Irmãos Metralha”, grupo de traficantes que comandava a região do bairro São Benedito e adjacências. Também foram apreendidos dez carros, um adolescente, droga, R$120 mil, e diversos outros materiais.

Parte dos itens apreendidos. Foto: Divulgação PCMG

Participaram da megaoperação a Chefe do 4º Departamento de Polícia Civil em Juiz de Fora (4º DEPPC), Delegada-Geral Patrícia Ribeiro de Souza Oliveira, acompanhada do Delegado Regional de Juiz de Fora, Dr Armando Avolio Neto, do Titular da Delegacia Especializada Antidrogas, Delegado Rogério Woyame, e dos Delegados Ângela Fellet Miranda Chaves Rodrigues, Hugo Leonardo Vicente Alves e Fernando da Silva Miranda. A ação contou com o apoio de cerca de 120 policiais civis da área do 4º DEPPC, unidade que abrange as Delegacias Regionais de Juiz de fora, Ubá, Leopoldina e Muriaé. Além disso, o canil da PCMG, em Belo Horizonte, auxiliou os trabalhos com a participação de dois cães farejadores. Drones também foram usados nas diligências.

O Delegado Rogério Woyame explicou que os intensos trabalhos de investigação se iniciaram há mais de um ano. “Essas pessoas, que já estavam na cidade atuando há muito tempo, já foram presas por tráfico e continuaram atuando com o dinheiro que ganhavam com o tráfico de drogas. Então, iniciamos um trabalho importante, que é o trabalho de não só identificar os donos da droga, que eram as pessoas que comandavam o bairro, que enriqueceram com o tráfico. Passamos a trabalhar com a lavagem de dinheiro para atingir o patrimônio desses chefes do tráfico”, disse, ressaltando que familiares também integravam essa organização. “Temos diversos bens que já foram relacionados para a Justiça para serem aprendidos e sequestrados, a fim de atingir o patrimônio da organização criminosa”, contou.

Segundo o Delegado Regional Armando Avolio Neto, foi mais uma operação exitosa da Polícia Civil que utilizou de recursos da inteligência policial para retirar a droga de circulação e os traficantes. “Mas também o patrimônio deles, possibilitando, assim, que eles não voltem a traficar ou a dominar certos bairros aqui em Juiz de Fora. Tivemos muitas prisões e prendemos ‘os cabeças’ dessa organização, que é o principal, e ainda teremos mais diligências”, destacou.

Já a Chefe do 4º DEPPC, Delegada-Geral Patrícia Ribeiro de Souza Oliveira, ressaltou a relevância da megaoperação. “É uma investigação que vem ocorrendo há bastante tempo, comandada pelo Delegado Rogério Woyame e equipe da Delegacia Antidrogas, baseada no trabalho de inteligência, usando recursos, não só da nossa agência, como de Belo Horizonte, do Laboratório de Lavagem de Dinheiro. É de uma importância muito grande para a cidade, pois, além das prisões, há dez veículos apreendidos, dinheiro e acreditamos que, com isso, vai enfraquecer o poder econômico deles, impactando na diminuição do tráfico de drogas na cidade”, concluiu.

Alguns dos veículos apreendidos durante a operação. Foto: Divulgação PCMG

Compartilhe




Receba nossa Newsletter gratuitamente


Digite a palavra e tecle Enter.